Na COP 27, Fátima se reúne com investidores e apresenta projetos de geração de energia no RN

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), cumpriu se reuniu nesta quinta-feira 17 com o presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), Roberto Ardenghy, e com a presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Elbia Gannoum. O encontro ocorreu durante a COP 27, a cúpula do clima das Nações Unidas, no Egito.

Fátima, acompanhada do diretor-presidente do Idema, Leon Aguiar, apresentou projetos e estudos elaborados pelo Governo do Estado para o setor de energias renováveis, como o projeto do Porto Indústria Verde – que vai oferecer infraestrutura para investimentos em produção de energia onshore e offshore e produção de hidrogênio e amônia verde.

A governadora marcou uma reunião para o próximo dia 30, em Natal, com dirigentes do IBP e da Abeeólica que se comprometeram a trazer investidores e empresas do setor para conhecer os projetos. A Total Energies SE, grupo empresarial do setor petroquímico e energético com sede mundial em La Défense, maior centro financeiro de Paris, é uma das interessadas. A empresa está presente em mais de 130 países e emprega 100 mil pessoas.

“Tivemos mais uma agenda em prol do desenvolvimento do Rio Grande do Norte aqui na COP27. Saímos da reunião com excelente perspectiva de consolidarmos novos investimentos e geração de muitos empregos e renda para o RN, que tem posição geográfica estratégica e poderá vir a se consolidar como um hub para os investimentos em energias renováveis”, afirmou Fátima Bezerra. “É o Rio Grande do Norte traçando caminhos sustentáveis”, comemorou a governadora.

O diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento do Meio Ambiente do RN (Idema), Leon Aguiar, considerou a reunião como de grande importância para o Estado.

“Apresentamos projetos e estudos elaborados pelo Governo do RN, mostramos a liderança do Estado no setor de energias renováveis, o atlas solar e eólico, os estudos para o Porto Indústria Verde, que, inclusive, tem sugestão de localização e detalhamento para instalação de unidades de produção e confecção de insumos necessários à estrutura de geração de energia onshore e offshore e para produção de hidrogênio e amônia verde”.

Roberto Ardenghy disse que o RN integra a nova fronteira exploratória no setor de óleo e gás natural, denominada margem equatorial. “Área também tem forte potencial para energias renováveis. O Rio Grande do Norte já é um produtor importante e nós vamos levar grupos de investidores para conhecer este potencial e o Porto Indústria Verde”, declarou.

Elbia Gannoum, presidente da Abeeólica, destacou a importância do Porto Indústria Verde no atual processo de transição energética. “O IBP nos traz a importância de aproveitar a margem equatorial, o gás e petróleo já existente no Estado. E nós da Abeeólica entendemos a importância de continuar investindo em eólicas onshore e offshore. Nos contatos aqui constatamos que o Governo do RN enxerga as oportunidades e trabalha para consolidar os novos investimentos”, pontuou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s