Jacó Jácome é denunciado por desvio de quase R$ 300 mil em combustível

O deputado estadual Jacó Jácome (PSD) é acusado pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) de improbidade administrativa e enriquecimento ilícito, conforme decisão da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Natal, assinada nesta sexta-feira (16) pela promotora de justiça Keiviany Sena.

Ele, juntamente com mais três pessoas, tem um prazo de cinco dias úteis para apresentação de declaração patrimonial de bens e o MPRN pede suas condenações pelo artigo 12, inciso I da Lei no 8.426/92 e ressarcimento ao erário público.

Conforme o MPRN, o deputado Jacó Jácome, candidato à deputado federal, é acusado de ter desviado aproximadamente R$ 285 mil em recursos públicos durante o período investigado, de janeiro de 2017 a dezembro de 2018. Os desvios teriam sido realizados por meio de notas, recibos e contratos simulando a prestação de serviços nunca realizados apresentadas na prestação de contas do gabinete do parlamentar por Isac Eder Lima de Aquino e José Ednarto Rêgo Júnior, que atingiram o mesmo valor.

“Os demandados convergiram esforços, durante anos, no propósito de desviar recursos públicos da ALRN, decorrente da verba de gabinete parlamentar de cunho indenizatório. O esquema criminoso envolveu a captação de empresas para a emissão de notas fiscais inidôneas para simular a prestação de um serviço a aquisição de um bem inexistente, aliado à prática de ato administrativo e o recebimento, pelo parlamentar, do valor respectivo creditado pela ALRN.

O dolo de criar toda essa engrenagem para enriquecer ilicitamente e de causar prejuízo ao erário estadual é evidente”, afirmou o MPRN.

O inquérito foi instaurado para
investigar supostos atos de improbidade administrativa por parte do deputado Jacó Jácome, de verbas do erário público e outros desvios em proveito próprios, após denúncia anônima sobre o gasto excessivo do parlamentar com combustível, com um custo médio de R$ 3,4 mil mensais, pagos com recursos públicos. Durante as investigações, a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público desvendou “um esquema estruturado de desvios de recursos públicos que somou R$ 130.738,00 ao longo de 2017 e R$ 85,5 mil em 2018, totalizando o montante de R$ 216,2 mil nos dois anos analisados”.

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do Natal, fundamentada nos artigos 129 (inciso III) e 37 (parágrafos 4o e 5o) da Constituição Federal, na Lei 8.429/92 e o inquérito civil público 04.23.2337.0000145/2018-51, propôs Ação Civil Pública por improbidade administrativa contra o deputado estadual Jacó Jácome, além de Isac Eder Lima de Aquino, Fábio Pereira das Chagas e o empresário José Ednarto Rêgo Júnior, além das empresas R & R Soluções Contábeis e J.E. do Rêgo Júnior.

Diário do RN

Published by

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s